quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

RESENHA| Sereia - Sereia (Volume I), de Tricia Rayburn

Autor: Tricia Rayburn
Editora: Verus
Categoria: Fantasia/Romance/YA
Páginas: 306
Ano: 2011

Outras resenhas da Série Sereia:

Encanto (Livro 02)


Sinopse: Vanessa Sands, de 17 anos, tem medo de tudo – do escuro, de altura, do mar –, mas sua destemida irmã mais velha, Justine, está sempre por perto para guiá-la a cada desafio. Até que Justine vai mergulhar num precipício uma noite, perto da casa de veraneio da família em Winter Harbor, e seu corpo sem vida aparece na praia no dia seguinte. Os pais de Vanessa tentam superar a tragédia retornando à vida cotidiana em Boston, mas ela sente que a morte da irmã não foi acidental. Depois de descobrir que Justine estava escondendo diversos segredos, Vanessa volta para Winter Harbor, esperando que Caleb, o namorado de sua irmã, possa esclarecer algumas coisas, mas o garoto está desaparecido. Logo, não é apenas Vanessa que está com medo. Winter Harbor inteira fica em alvoroço quando outro corpo aparece na praia, e o pânico se instala à medida que a pequena cidade se torna palco de uma série de acidentes fatais relacionados com a água, em que as vítimas são encontradas sorrindo horrivelmente de orelha a orelha. Vanessa e Simon, irmão mais velho de Caleb, unem forças para investigar os estranhos acontecimentos e, no caminho, a amizade de infância se transforma em algo mais. Conforme eles vão encontrando ligações entre a morte de Justine e a súbita erupção de afogamentos assustadores na cidade, Vanessa descobre um segredo que ameaça seu romance com Simon – e que vai mudar sua vida para sempre. 

Impossível essa capa não chamar atenção. Mesmo que olhando assim, pela foto no computador, pareça uma capa simplória e comum, aconselho muito que busquem o livro, mesmo que só para dar uma olhada na capa. Além da captura da foto ser linda eles também adicionaram na edição uma espécie de brilho sobre os olhos e sobre o título, que, variando com a posição da luz, modifica sua cor. Embora isso não seja novo, é incrível como caiu como uma luva suave e delicada sobre o livro.
Livro esse que é surpreendente.

Como pôde ser visto na sinopse, Vanessa é uma garota bunda mole. Sua autoestima não é lá essas coisas e ela está sempre se escondendo por trás da asinha de sua bela irmã mais velha, Justine. Até que sua irmã bate as botas, aparentemente vitima de uma idiotice radical. Claro que não seria bem assim. Além de tudo isso, a cidade de Winter Harbor ainda sofre com uma medonha onda de mortes misteriosas, em que homens são encontrados mortos próximos ao mar, sorrindo que nem o gato de Lewis Carroll. Mistérios são o que não faltam neste livro. Mistérios demais pra coitada da covarde resolver sozinha, o que leva a Simon, o amigo de infância, agora mais forte - a justificativa é plausível - e menos tímido. É interessante que ele não embarca nessa jornada ao desconhecido com Vanessa apenas por termos de amizade, já que seu irmão caçula. Caleb, antigo namorado de Justine, também está sumido. Isso faz com que as coisas façam mais sentido dentro da história.

O livro se desenvolve muito bem, mesmo que hajam horas um tanto quanto desnecessárias - o que eu não afirmaria, já que, como disse, romance não funciona comigo -, mas nada que não se possa relevar. Tricia escreve grandiosamente bem, com uma narração bem informal, nos dando as informações da maneira que se esperaria que se saísse da cabeça de uma jovem de 17 anos. Isso é muito positivo. Adorei diversos momentos apenas pelas reflexões da jovem Sands.

Conforme vamos ganhando pistas vamos nos apegando mais à história, que tem uma base demasiadamente interessante, podem crer. Os personagens secundários também ajudam muito, como a amigável e atrapalhada Paige, o misterioso e calado Oliver, a megera nojenta Zara, e, claro, o roqueiro mais problemático do mundo, Caleb. Como não querer ouvir Green Day depois de ler sobre Caleb? O mocinho também não é enjoativo, sendo realista e útil, acima de tudo, o qe hoje em dia é raro em livros com mulheres no comando.

E as sereias... Gente...

Confesso. Desde pequeno sou fascinado em sereias - não confundam com tarado, como meus amigos. SE for pra eu morrer, que seja afogado por uma sereia. Rs. E tenho pavor do mar. Me digam, então, como encontrar um outro livro que navegasse tão profundamente em minhas emoções? Sereia resgatou o verdadeiro espírito das malditas predadoras do mar, dando sentido e razão a elas e a seus atos. Permitiu que nos afastasse daquela velha historinha digna de Disney - não me julguem, amo A Pequena Sereia -  e submergiu nossas cabeças rumo às profundezas verdadeiras. Mas, bem, sereias matam.

O livro também tem seus probleminhas, como todos. A escrita de Rayburn em vezes me deixou confuso, não sendo muito clara e me fazendo voltar para reler, mas nada que tenha me feito gostar menos.

O final é eletrizante, me levou a tremer e a roer as unhas, me deixando faminto por mais um livro da serie, enlouquecendo meus pobres e maluquinhos neurônios. A última frase é quase que mágica!


Já li a continuação e logo postarei a resenha. Espero que tenham apreciado, e, quando forem à praia, não se enganem pelo fato de o sol estar brilhando, porque as profundezas e as trevas ainda estarão lá, apenas te esperando.

Essa é a minha deixa, até!

# Compartilhar :