quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

RESENHA Série| Kyle XY - Sem Identidade (1ª Temporada)


Sinopse: Kyle é um adolescente de 16 anos que acorda numa floresta à beira de Seattle totalmente nu e sem nenhuma lembrança de sua vida antes daquilo. Kyle é como um bebê recém-nascido em sua falta de conhecimento da vida social humana: ele não conhece nem mesmo as coisas mais simples, como a maneira de comer ou beber, e não consegue se comunicar com outras pessoas. Quando Kyle caminha nu pelas ruas de uma cidadezinha próxima, é apanhado pela polícia. Como eles não conseguem encontrar seus registros, ele é levado para um lar infantil, onde se descobre que ele não possui o umbigo. Nicole Trager, uma terapeuta, se interessa por Kyle. Ela percebe que Kyle não pertence ao lar e leva-o para sua casa enquanto a polícia procura por sua família. A série acompanha Kyle e a família Trager à medida que Kyle se desenvolve socialmente e busca por respostas para o seu misterioso passado.

Vale a pena ver. E como!

Essa sinopse, por si só, já é desconsertante. Kyle é um mistério total, em todos os sentidos. Não fala, não sabe comer e cada coisinha nova que ele "descobre" faz com que surja aquele seu carismático e característico sorriso, que é praticamente parte essencial da série. Guardei muito bem uma coisa que minha mãe disse certa vez a respeito desse seriado. Ela disse que, quando se assiste Kyle XY, você simplesmente esquece que aquilo é um ator interpretando; Matt Dallas se entrega ao papel assustadoramente, parecendo que foi escolhido a dedo, de tão bom que é. Não é exagero, de maneira alguma. No início da série nos deparamos com um jovem que ainda não sabe falar, o que acaba exigindo muito das expressões de Matt, e isso é prazeroso de se ver. Desde os olhos ao sorriso de bebê qual é impossível não se apegar, Matt Dallas dá um show de interpretação que é de se bater palmas de pé. 

Outro ponto positivo de Kyle XY é a narração que nos é dada. O mundo é um estranho para Kyle, o que o leva a fazer inúmeras reflexões no decorrer da temporada, reflexões realmente úteis e que fazem com que nos aproximemos mais do personagem, de sua índole inocente, de seu modo de pensar. O falar sério e suave de Kyle apenas reforça ainda mais.

O foco inicial dessa temporada é acompanhar o desenvolvimento de Kyle como pessoa, seja no meio familiar como no escolar. Somos levados a episódios que deixam de lado locações variadas de cenário para que o centro torne-se, de fato, diálogos inteligentes e momentos simples e sensíveis com o claro objetivo de nos emocionar. Marguerite MacIntyre toma as rédeas no quesito emoção, cuidando, educando, amparando, dando todo o suporte para alguém especial como Kyle. Impossível não adorá-la, e ao seu marido Stephen. Os personagens são um grande trunfo em Kyle XY, sejam primários ou secundários.

De um outro lado, também temos a ficção científica, que também é demasiadamente atraente. Seria Kyle um alien, um ser mágico, um robô? A expectativa da descoberta nos agarra e nos carrega, até vermos que, infelizmente, a temporada acabou. A história avança juntamente com Kyle, se desenrolando calma e surpreendentemente, deixando pontas soltas inimagináveis para a segunda temporada. Uma temporada curta, mas que agrega emoções distintas e prazerosas, uma temporada inesquecível para os maníacos em seriados.

Descobertas, decepções, mistérios, família, mentiras e verdades são só um pouco do que Kyle XY tem a oferecer. Apaixonante.

Essa é minha deixa. Vou indo, apaixonado e já com saudades!

Informações técnicas

Nome original: Kyle XY
Ano: 2006
Criadores: Eric Bress, J. Mackye Gruber
Direção: Chris Bender, David Himelfarb, Eric Tuchman
Elenco: Matt Dallas, Marguerite MacIntyre, Bruce Thomas, April Matson, Jean-Luc Bilodeau, Chris Olivero, Kirsten Prout, Nicholas Lea, Cory Monteith, Chelan Simmons e j. Eddie Peck
País:EUA
Emissora: ABC Family



# Compartilhar :

2 comentários

avatar

Me impressionei também com a atuação de Matt, acabou sendo melhor do que pude imaginar.

avatar

Uma atuação linda para uma serie linda