segunda-feira, 4 de agosto de 2014

|Semana Nárnia| Resenha: Livro#17 e Filme#9: As Crônicas de Nárnia - A Viagem do Peregrino da Alvorada

Outras resenhas da série do livro/filme:
Sinopse: Lúcia e Edmundo, com seu odioso primo Eustáquio a tiracolo, embarcam numa incrível viagem de aventuras e descobertas, a bordo do imponente navio Peregrino da Alvorada. Rumo às Ilhas Solitárias, em busca dos sete amigos desaparecidos do pai do rei Caspian, eles encontram um dragão, uma serpente do mar, um bando de criaturas invisíveis, um mágico e o próprio Aslam, o Grande Leão, que os presenteia com uma promessa muito especial.

[AVISO] Resolvi fazer as resenhas seguindo a ordem de PUBLICAÇÃO da série As Crônicas de Nárnia, já que, para mim, é a maneira mais correta de se ler. Pode parecer uma frescura boba, mas, na minha posição de tagarela opinador, acho que é muito mais proveitoso se ler nessa ordem, e, por isso, resenhar nessa ordem. E já vou aproveitar pra resenhar o filme. Não preciso dizer que este pode conter spoilers do anterior, não é...?

A Viagem do Peregrino da Alvorada é o terceiro livro da série As Crônicas de Nárnia, o meu preferido dos sete. Foi lançado em 1952, um ano após o anterior, e deu origem ao filme de mesmo nome, lançado em 2010 pela Walden Media. Sim, sem a Disney...

O Livro 

A Viagem foi uma agradável surpresa. Com pouca expectativa após o questionável Príncipe Caspian, me diverti muito com o terceiro livro, me emocionei e suspirei. C. S. Lewis volta a tomar as rédeas definitivamente, nos presenteando com um texto original, em que não há uma parte sequer em que nos sintamos entediados, ou irritados, que seja.

Nesse livro, já somos inseridos a um cenário totalmente diferente do que estávamos acostumados: o mar. Sem campos de batalha, sem grifos, aqui podemos nos deliciar com diversas novidades, abandonando um pouco o ar mitologia grega/conto de fadas e assumindo uma capa mais viking, com elementos dignos de uma divertida história pirata. Não vou citar aqui todos os elementos porque é muito agradável ser surpreendido, mas posso garantir que nesse terceiro livro a magia toma um rumo muito interessante.

Além disso, aqui temos personagens mais valorosos e bem aproveitados, um Caspian melhor estruturado e uma novidade um tanto quanto peculiar: Eustáquio. Um menino irritante metido a esperto, mas que no fim das contas nos passa uma mensagem muito bonita... Aliás, o livro inteiro é uma mensagem bonita, o que é bem a cara de Nárnia. É muito bom ver a qualidade retomada nesse volume.

O livro também é lotado de belíssimas gravuras, algo que persiste em todos os outros volumes... Não há como dar uma nota menor.



O Filme

Logo de início já temos uma mudança extremamente considerável: o abandono da Disney. O estúdio aparentemente não ficou muito alegre com o resultado das bilheterias de Príncipe Caspian e achou que aquele seria um bom capítulo final para a história... Diferentemente do que a Walden Media achou. Sendo assim, o próximo filme contou apenas com a participação deste último. Podemos notar certas alterações muito agradáveis, como, por exemplo, um uso maior de CGI. Fala sério, quem não pirou ao ver um minotauro tão realista e bem feito (bem diferente daquela fantasia chinfrim dos filmes anteriores...)? Em termos de efeitos especiais, na verdade, tudo ficou mais bonito. 

Entretanto, talvez o estilo "holywoodiano" da America tenha feito um pouco de falta... O filme parece ousar um pouco demais às vezes, mas tudo é um tanto quanto... "menos". Apesar da interessante mudança de ares, fica uma aparência que dá um certo desconforto em quem assiste, uma sensação nostálgica, como se aquilo que vemos não fosse a Nárnia que conhecemos - um aspecto que não se pode comparar com o livro, que preenche muito bem essas lacunas.

Outro ponto negativo é a extrema mudança dos acontecimentos. Ok, é uma adaptação, e não se difere tanto do que fizeram com Príncipe Caspian, em que também mudaram muito... Mas, neste caso, são mudanças incômodas. O filme inteiro aparenta tentar uma mensagem cristã como é bem de costume da série, mas nos momentos em que realmente esperamos tais características elas simplesmente são ignoradas. No fim das contas resta um exagero quando se precisa de algo mais singelo, e a falta de elementos nos momentos em que esperaríamos algo mais estrondoso, ou, no mínimo, bonito... Entendem? Algo como "aquilo que acontece no livro seria bem melhor".

Enfim. Se você está a fim de um filme divertido, algo como um Piratas do Caribe infantil e com dragões, embarque nessa jornada, embarque no Peregrino. Agora, se espera algo superior ao segundo filme... Sinto muito.



Informações técnicas (livro)

The Chronicles of Narnia: The Voyage of the Dawn Treader
Autor: C. S. Lewis
Editora: Martins Fontes
Páginas: 117 (VOLUME ÚNICO)
Ano: 2010 (VOLUME ÚNICO)
Gênero: Fantasia/Aventura

Informações técnicas (filme)

The Chronicles of Narnia: The Voyage of the Dawn Treader
Ano: 2010
Duração: 123 min
Direção: Michaem Apted
Roteiro: Christopher Markus, Stephen McFeely, Steven Knight, Michael Petroni e Richard LaGravenese
Elenco: Ben Barnes, Georgie Henley, Skandar Keynes, Will Pouter, Liam Neeson (voz) e Simon Pegg (voz) (...)
País: Reino Unido/EUA
Baseado na obra de C.S. Lewis

Então, acho que é isso... Até amanhã, com a resenha de A Cadeira de Prata, continuando nossa SEMANA NÁRNIA

# Compartilhar :

2 comentários

avatar

Ai, Marcos, eu chorei muito quando o rato se ofereceu pra ir...
Adoro As Crônicas de Nárnia!
Abraço!
caixinhadadea.blogspot.com.br

avatar

Ai, Andrea também bateu aquela tristeza em mim, ele era muito divertido... Também adoro as obras do C. S. Lewis, demais mesmo, rs. Abraço!